Home / Cibercultura / Jornalismo e Teoria Ator-Rede

 

robot journalism 2Quem produz jornalismo? A resposta mais rápida seria: “jornalistas, é claro”. Porém, existe uma gama muito maior de pessoas que participam do processo total. Para que o jornalismo ocorra outros profissionais são necessários: o entregador de jornais, o designer de infográficos, o cabo man, o cinegrafista, o motorista, etc. Ou seja, profissionais de outras áreas, mesmo que sem nenhuma formação universitária em jornalismo, são fundamentais para que o processo jornalístico possa acontecer. Mas, veja, existe jornalismo se matérias, reportagens e entrevistas não circularem? Evidentemente, sem o leitor, o ouvinte e o espectador o jornalismo não se completa. E mais, levando em conta os diferentes momentos em que o público pode participar (sugerindo pautas, enviando fotos e vídeos, etc.), compreende-se que o jornalismo só se materializa com a participação do público.

Apesar dessa argumentação, muitos ainda preferem insistir que jornalismo é apenas produzido por jornalistas. Essa defesa é evidentemente simplista. Parece ser fruto de um temor de perda de espaço profissional. Mas não quero aqui entrar nessa polêmica fácil. Prefiro questionar outro aspecto que tem gerado grande debate nas ciências sociais: como atores não humanos intervêm nos processos sociais? robot journalismTrazendo este questionamento para o contexto jornalístico, qual é o papel de atores não humanos no jornalismo? Refiro-me a objetos e tecnologias como o bloco de notas, o microfone, a câmera, o computador, o smartphone, etc. Existiria jornalismo sem eles? Logo, é preciso reconhecê-los como atores que participam das interações jornalísticas, intervindo significativamente (permitindo, transformando, inviabilizando, etc.) nas ações em curso.

Pois estas questões são todas amplamente discutidas neste artigo que escrevi com Gabriela Zago: “Who And What Do Journalism?: An actor-network perspective“. Este trabalho que aplica a Teoria Ator-Rede ao estudo do jornalismo foi publicado no prestigioso periódico Digital Journalism. Trata-se de uma revista científica com acesso pago. Mas até o final do mês de julho (2015) o acesso a todas as publicações da editora Taylor & Francis está aberto para brasileiros. Corra e aproveite para baixar nosso artigo e muitos outros que sejam de seu interesse de pesquisa!

 
 

One Comment

  1. Oi Alex,

    E o que dizer então dos robôs que escrevem matérias?

    http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/jornalismo-em-software-4718923

    Um abraço,

    Bia

     

Qual é a sua opinião?

 

Curta minha página no Facebook

 

Assine meu canal no YouTube

 

Siga-me no Twitter

 

Newsletter

Receba novidades por e-mail